segunda-feira, 2 de outubro de 2006

Justapondo – 1

Na tarde de domingo (1 de outubro de 2006) a TV Cultura exibia a reprise de seu programa Vitrine, quando lá pelas tantas, numa das partes da entrevista com o cineasta/crítico político Arnaldo Jabor, este começa a tecer suas considerações sobre Rio de Janeiro e São Paulo. A coisa saiu mais ou menos assim: “Na verdade o carioca é que é otário. O paulista é o esperto. Como escreveu tal cara*, no Rio a burguesia foi substituída pela boemia; em São Paulo a burguesia deu lugar ao proletariado. Aqui em São Paulo se exige muito mais do cidadão, se aprende muito mais. No Rio, tem o que? Uma indústriazinha fraca, carnaval (...).”.

-------

Na noite de domingo (1 de outubro de 2006), madrugada iniciando, mais um daqueles boletins de apuração das eleições da TV Globo (que começaram logo depois do término das votações, e passavam uma afobação enervante em se saber os resultados. A freqüência de interrupções na programação deu a entender que nosso ver televisão estava gago ou tatibitante – a cada 3 ou 4% de apuração uma nova interrupção): “Os 4 candidatos a deputado federal mais votados em São Paulo foram: Paulo Maluf - PP (
http://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2006/eleicoes/candidatos-deputado_federal-sp-1111.shtml e veja no último), Celso Russomanno - PP(http://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2006/eleicoes/candidatos-deputado_federal-sp-1188.shtml e veja no último), Clodovil - PTC(http://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2006/eleicoes/candidatos-deputado_federal-sp-3611.shtml e http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u84499.shtml), Enéas – PRONA(http://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2006/eleicoes/candidatos-deputado_federal-sp-5656.shtml e veja no último).”

Mais informações importantes sobre o quarteto: http://perfil.transparencia.org.br g

*Essa falha é minha mesmo, que se esqueceu do nome do escritor – doações de Fosfosol são aceitas.
OBS: A adição dos links também é minha. Nenhuma das transmissões citou-os.

2 comentários:

Bury disse...

Eu curti a entrevista com o Jabor... apesar de Alckmista, ainda é um cara que admiro.

ANG disse...

Também admiro o Jabor, e no que ele falou há certo sentido, sim. Mas, raios, deve haver um tipo de gente a mais, tanto em Sampa como no Rio, que parece se excluir de toda análise e entra no terreno do inexplicável-abominável. Porque a realidade às vezes contraria a coerência.